09/04/2017

#Estrutura da Terra: O Ciclo de Wilson

Introdução

Dando seguimento a nossa série de artigos sobre a estrutura da terra (confira o último artigo, A Teoria da Deriva Continental), iremos entender como se dá a sequência de processos responsáveis por movimentar as crostas e posteriormente formar continentes e oceanos. Esta sequência na verdade é chamada de ciclo, pois não possui um fim específico, podendo retornar ao estado inicial. O responsável por elaborar este ciclo que denominamos de "Ciclo de Wilson" foi o geofísico e geólogo John Tuzo Wilson (1908-1993) em seu trabalho “Did the Atlantic close and then re-open?”(em português, "O Atlântico se fechou e reabriu?"), publicado na revista científica britânica 'Nature' de 1966.

Animação que ilustra a abertura dos oceanos.
Por Original upload by en:User:Tbower - USGS animation A08,
Domínio público,
https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=583951

02/04/2017

#Mineralogia - Propriedades Físicas dos Minerais :: Geminação e Epitaxia

Neste artigo da série Mineralogia, iremos falar um pouco sobre a Geminação, também conhecido como Macla.

Introdução


A geminação é uma propriedade física que frequentemente ajuda os geólogos na identificação de alguns minerais sem nenhum tipo de teste, apenas com os aspectos visuais, o que ocorre muito frequentemente pelo fato de geralmente não encontrarmos formações tão perfeitas e evidentes quanto àquelas vistas nos livros.

Macla de Interpenetração de Estaurolita(formato de cruz).
Fonte: By Rob Lavinsky, iRocks.com – CC-BY-SA-3.0, CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=10122363

26/03/2017

#Vulcanologia - Uma Breve Introdução (parte 1)

Olá leitores! Hoje iremos dar início a uma nova série de artigos, e seu tema é a Vulcanologia, uma área da Geologia que estuda o vulcanismo. Dividimos esse artigo em duas partes, devido à complexidade do tema em questão. Em seguida, nos próximos artigos, iremos tratar sobre os vulcões existentes na Terra, aplicando o conhecimento obtido nesse artigo introdutório. 

Introdução

Nesse artigo, iremos tratar dos vulcões e entender oque são e como surgem. Como já dito anteriormente, a Vulcanologia é uma área da Geologia que estuda os vulcões, sendo assim também de suma importância para sociedade porque além de entender os processos por trás dessa formação, trabalha-se também com a minimização dos riscos de erupções. O entendimento do vulcanismo também serve para a compreensão da formação da crosta terrestre e da crosta oceânica, tendo em vista que uma grande parcela dessas crostas são constituídas de rochas vulcânicas, originados de magmas formados em grandes profundidades. Para isso, será necessário o entendimento da estrutura interna da terra e o tectonismo.

Vulcão Parinacota - Cordilheira dos Andes
Por Alexson Scheppa Peisino(AlexSP) (Trabalho próprio pelo carregador) [Public domain], undefined

18/03/2017

#Mineralogia - Propriedades Físicas dos Minerais :: Clivagem

Olá leitores!

Hoje iremos tratar sobre uma propriedade determinante na identificação macroscópica dos minerais: clivagem.

Introdução


Clivagem é a capacidade que um mineral tem de se fragmentar em planos paralelos, podendo um mesmo mineral ter mais de uma clivagem, como a cianita. Ela é fundamental pois define grandes grupos minerais como uma consequência de sua definição, que baseia-se na estrutura interna dos mesmos.
Foto da Fluorita (4 direções de clivagem), Fonte: Sávia M. Conceição

Isso ocorre porque a clivagem é uma propriedade vetorial, ou seja, ela pode variar de acordo com a direção em que ocorre no corpo do mineral.

A clivagem se apresenta visualmente com linhas retas e paralelas entre si, demonstrando um padrão de fragmentação entre as partículas do mineral. Além disso, a clivagem de uma mineral pode resultar, também no aspecto visual, e algumas "formas", como um cubo, por exemplo. Entretanto, há clivagens que se apresentam em planos, e por definição, paralelos entre si.

Essa propriedade é medida através de dois parâmetros principais:

11/03/2017

#Mineralogia - Propriedades Físicas dos Minerais :: Fratura e Partição

Fratura


É a forma em que o mineral tende a se partir, sendo que não há paralelismo entre os planos formados(quando houver planos), pois isto se refere a propriedade de clivagem, que será explicada aqui no blog. Diversos minerais possuem fraturas que podem ser características na identificação dos mesmos. Além disso, podem existir tipos de fraturas que são recorrentes em alguns minerais, caracterizando uma espécie.

A fratura ocorre quando as forças de ligação entre as partículas que compõem o mineral possuem mesma intensidade em todas as direções, por isso demonstra uma irregularidade em sua feição. Portanto, a quebra ocorre em qualquer direção, resultando no não-paralelismo entre as linhas ou planos formadas.

Existem vários tipos de fraturas, tais quais:

  • Conchoidal(concoide): linhas que se assemelham a superfície interna das conchas. Ex. Quartzo, Granada;
  • Irregular: superfícies rugosas, sem nenhum padrão visível. São bem comuns. Ex. Turmalina, Quartzo, Feldspatos;
  • Fibrosa: o mineral se rompe exibindo fibras. 
  • Serrilhada: superfícies dentadas, irregulares, com bordas cortantes. Ex. Ouro;

As fraturas conchoidal e irregular são as mais comuns, pois são justamente que caracterizam o grupo do Quartzo, sendo os seus minerais um dos mais abundantes da crosta terrestre, tornando esses tipos de fraturas as mais conhecidas.

Importante notar que, muitos minerais apresentam mais de um tipo de fratura, isso é algo recorrente. As amostras das fotos abaixo, pro exemplo, possuem tanto fraturas irregulares quanto conchoidais, sendo que umas são mais evidentes que outras em cada imagem.

Amostra de Quartzo com fratura irregular.
Fonte: Blog Sobre Geologia

Fratura conchoidal em uma amostra de Ônix, uma espécie de Quartzo.
Fonte: Blog Sobre Geologia


Partição


A partição, assim como a clivagem, está relacionada com os planos cristalográficos de um mineral, porém esta propriedade não é tão desenvolvida como a clivagem, e frequentemente é confundida com ela.  Essa propriedade tem como principais causas a existência de planos de geminação do mineral e também o aumento da pressão que é imposta no mesmo.
    A partição não é uma propriedade que recorre em todas as espécies do mineral,  outros podem possuir, assim como alguns não. Esta também pode ser classificada, alguns exemplos são: a partição octaédrica do mineral Magnetita e a basal do grupo dos Piroxênios

Referências

  • DANA, James. HURLBUT, Cornelius. Manual de Mineralogia 1ª Ed. 1969;
  • KLEIN, Cornelis. DUTROW, Barbara. Manual de Ciência dos Minerais 23ª Ed. 2012;
Escrito por Rangel Santos
Editado por Rafael Ladeia

25/02/2017

#Estrutura da Terra: A Teoria da Deriva Continental

Introdução


No Blog Sobre Geologia, iremos abordar a Teoria da Deriva Continental, fundamental para o nosso entendimento da dinâmica terrestre.

Projeção da Terra atualmente, depois de longos períodos de deriva continental
e transformações geológicas. Fonte: https://www.flickr.com/photos/hangglide/